Setaro pede ajuda

sexta-feira, agosto 12, 2011

andré
 
Um dos maiores críticos cinematográficos da Bahia passa por diversas dificuldades. Em seu perfil do Facebook, clamou por ajuda:

“Minha situação beira a tal calamidade que, cheguei hoje à conclusão, devo deixar o orgulho de lado e dizer a verdade. Toda a verdade”. (Leia o relato completo em https://www.facebook.com/notes/andr%C3%A9-setaro/pedido-de-socorro/132021403555477 ).

Para amenizar sua situação, alunos, ex-alunos e amigos organizam hoje (12/08/2011), um leilão beneficiente, a partir das 20h, na Praia dos Livros, no Largo do Porto da Barra, com discotecagens do músico/professor Messias Bandeira.

Serão leiloados livros de André Setaro, obras de arte especialmente doadas ao evento, fotos, cartas e diversos objetos do crítico.
 
Conheça um pouco mais do universo de André Setaro nesta produção da TV UFBA:
 









2 comentários:

jrampazo disse...

quando eu tiver com a idade dele, e com o tempo de trabalho que ele tem, farei alguns cálculos e detectarei o quanto o governo já pegou de mim...
daí abro uma nota na mídia social do momento e começo a pedir r$ aos meus amigos!

ele faz isso pq é influente e sabe que tem "seguidores" que o ajudarão.

e aquele pai de família que por algum motivo passa pelas mesmas condições que ele, mas não tem influência alguma para pedir r$?
ele faz oq? ele arruma outro trabalho... ele se sujeita a trabalhar em outra profissão, ele "rebaixa" seu padrão de vida para manter o mínimo de dignidade e por aí vai...

não desacredito que setaro esteja realmente passando por dificuldades, mas acho muito fácil fazer oq ele está fazendo...

enfim, é só uma opinião de uma salariada brasileira, assim como ele.

=*

Deniac disse...

Sim, claro que pode fazer isso. Qualquer um pode e tem o direito de fazer o que achar melhor na hora que o bicho pega.

E já que tem essa influência, nada mais justo. Setaro, também pai de família, encontra os melhores meios para saciar as suas necessidades.

Da mesma forma que um "pai comum" faz, quando pede dinheiro em ônibus ou vende picolé na praia.

Enfim, tudo é válido...