Prevendo o futuro com William Gibson

terça-feira, janeiro 04, 2011

 

O programa Fantástico, na edição do dia 02.01.2011, exibiu uma interessante reportagem sobre um show da diva japonesa Hatsune Mikuo, personagem bastante cultuada por lá, que leva à loucura milhares de fãs por todo o país e com um adendo bastante singular: ela é uma cantora totalmente virtual.

Neste evento, uma tecnologia (não revelada) holográfica 3D, permitiu que ela aparecesse “em carne e osso”. Mas o que me surpreendeu na verdade, foi a sensação de deja vú que me tomou, graças, mais uma vez, ao escritor canadense William Gibson.

Em seu livro Idoru, Gibson conta a história de Rei Toei, cantora também totalmente feita de pura “informação digital”. Como Mikuo, “Rei Toei é formada por arranjos de informação extremamente complexos e sofisticados, que conferem a ela uma ‘existência’ original, meio humana e meio nada (coisas típicas de histórias futuristas de ficção científica)”.

Do mesmo modo, vi certa semelhança na primeira graphic novel de 1990 totalmente computadorizada, chamada “Batman: Digital Justice”, de Pepe Moreno. Lá, há uma imagem futurística de uma cantora pop-holográfica que ficou marcada em minha memória, algo que, neste vídeo, tornou-se real.

Inteligência artificial, cyborgues, peles sintéticas, realidade virtual. Ficção imitando realidade ou realidade imitando ficção? Sei apenas que tudo o que devorei de ficção científica “cyberpunk” do mestre e profeta Gibson, vem se tornando realidade. Tudo o que foi imaginado, está aos poucos, tornando-se real. Façam suas apostas, pois o futuro é agora.

Um comentário:

j. rampazo disse...

Em 2002, este lance de personagem virtual, já foi idealizado no filme S1mone!