“O Fim” é só o começo

segunda-feira, maio 24, 2010

ABAETERNO-teefury

Não há mais nada para ser dito. O fim chegou e ponto. Quer você goste ou não, esse foi o tão alardeado e esperado ponto final de Lost. Aceitando ou não, essa foi a solução para uma das histórias mais sensacionais de todos os tempos. Não há mais nada o que fazer. Não há mais nada para ser dito. Desligue seu computador (ou sua tv) e pare para pensar um pouco.

O que realmente aconteceu aqui?

O planeta, sabe como ele acordou hoje? Com uma sensação de saudades de um lado e raiva do outro. E você, o que sentiu? Ludibriado? Ódio pelas perguntas não respondidas? Lost foi um fracasso? Ou você pensa o contrário? Sorrriu? Chorou? Gritou de alegria?

Eis a questão! E você, nem sequer percebeu a grande sacada!

Perguntas e respostas. Abandonar ou não a ilha. O bem contra o mal. Opiniões distintas, adversas. “Um bom final”. “Um péssimo final”. O mundo, desde ontem de madrugada, dividiu-se em dois: Os amantes incontestáveis da série e os que a odiaram até o ultimo minuto.

Todos com seus estandartes em punho, prontos para uma guerra de argumentos e opiniões ferrenhas, procurando motivos mil para defender seus pensamentos, no campo de batalha da World Wide Web.

Em outras palavras, a série saiu da tv, correu pelos backbones de fibras óticas subterrâneos mundiais e escapou para a realidade. Somos agora como Jacob (defensores ferrenhos da ilha/história) e o homem de preto/Lock (desgosto total pela ilha), em um confronto de opiniões dispares.

E o que ninguém percebeu, é que, lá no fundo luminoso da Ilha, em uma caverna de água e luz, alguém sorri sorrateiramente. Se sente satisfeito e orgulhoso pelo seu poder de persuação. Tudo advindo de suas idéias brilhantes.

Ele, nesse momento, é um garoto crescido que brinca de deus, conseguindo colocar milhares de pessoas umas contra as outras, em duelos de “achismos”. Conseguiu fazer de “O Fim” ser o início de uma nova discussão. O nome desse garoto é J.J Abrams e mesmo de lá, do outro lado do globo, queira você ou não, ele manipula todos os seus pensamentos... Sejam eles de raiva, descredito ou ódio... Sejam eles de amor, ternura ou saudade.



wiredjj2

2 comentários:

Marilton Trabuco disse...

Farei um comentário profundo, EU GOSTEI!

j. rampazo disse...

Faço parte da tribo dos Jacobs. Acreditei na série por principalmente sentir em meus póros o que a "ilha" tinha a nos ensinar. Ao comparar situações ficticias, com momentos que vivo aqui, no mundo real. Por me divertir muitas vezes numa mesa de bar. Por compartilhar isso com amigos, família e namorado.
Lost me fez pensar que só o amor não basta, e me fez refletir em como o mundo seria se houvesse simplesmente mais FÉ.

Fico aqui com sentimento de amor, ternura, saudade e um pouquinho mais de fé.