Carta de despedia à Lux Interior.

quinta-feira, fevereiro 05, 2009

The Cramps, Lux Interior Portrait, London
Lux Interior © Michael Robert Williams

Querido Lux,

Sempre fui da opinião que rock é cultura. Mesmo nas canções ou bandas mais escrotas/sacanas, com letras imbecis, existem referências extraordinárias que complementam o repertorio cultural de qualquer um. 

Principalmente quando se é adolescente, pobre, sem pai e vive em uma cidade de interior sem perspectivas de nada. Claro que estou falando por experiência própria. Sei também que sua juventude não foi nada fácil, que assim como eu, voltou-se aos bons livros, filmes e música para escapar das pressões da vida. 

The Cramps é o maior exemplo do que agora digo. Principalmente em sua figura Lux (ou prefere que o chame de Erick?). Sempre considerei sua mente brilhante e imaginativa, e dela nasceu uma magnífica banda que tinha como principal função, deixar as pessoas arrepiadas em seus shows, fazer garotos terem mais diversão em suas vidinhas ordinárias, nos fazer rir com suas performances viscerais e selvagens. E isso você sempre conseguiu fazer com muito afinco. Por isso sou seu fã!

Em você Lux, encontrei os filmes-b de terror e ficção cientifica, os solos contagiantes do surf music instrumental. Em suas músicas, existiam a verdadeira rebeldia rocker (hoje quase esquecida e deprimente), aprendi a ter orgulho do que eu era, sem nunca me apegar a opinião de gente preconceituosa e sem identidade. Suas letras eram um convite a uma forte adrenalina resultante do abandono temporário das pessoas comuns em nome de uma loucura juvenil que durava o tempo de um disco ou de um show. 

Mas quer saber o que mais eu admirava em você? O que mais aprendi contigo apesar de ser visto por muitos como um excêntrico freak esquisitão? Você amou Poison Ivy desde sua juventude até o fim da vida! Você dedicou a ela um exclusivo amor raríssimo hoje em dia. Apesar de sua loucura e perversão, de não pertencer a nenhum tipo de entidade religiosa, você cumpriu com o juramento de só deixá-la na morte. Você cumpriu isso como ninguém!

Por tudo isso e muito mais, meu querido Lux, você é ícone que formou o meu caráter, que esteve presente no vazio de muitos momentos tristes. Elevou minha alma a estágios de alegria que poucas vezes senti em uma banda. Você esteve do meu lado sempre que precisei ter forças. Suas canções me levavam a isso! Sem demagogia!

Mas hoje, senti um calafrio quando um amigo mandou a notícia.


Nunca em minha vida tinha sentido isso. Nunca meus olhos marejaram por um rock star. Talvez nem goste muito desse termo, desculpe por isso, mas para meus olhos com mais de 30 você é! 

Esteja onde estiver, sempre vou lembrar com amor e ternura. Pois o verdadeiro rock deve ser maldoso, ultrajante e rebelde!

Obrigado por tudo isso!

Do seu amigo e fã que nunca molhou a camisa de suor em seus shows,


Daniel Quirino.

8 comentários:

wilson prata disse...

The Cramps é muito massa, o Kid Vinil escreveu uma coisa certa um dos clássicos mais omitidos nas listas de melhores álbuns de todos os tempos sem dúvida é o "Songs The Lord Taught Us". Não bastasse tudo Lux ainda aparece no clip de substitute dos Ramones (onde também aparece o Lemmy) e fez a melhor versão de Lonesome Town ever.

Adriana Amaral disse...

que pena, fiquei chateada tb...

Tatiana disse...

Bad music for bad people!

Tatiana disse...

Deniac, acho que Poison Ivy ficaria feliz com sua carta (ou um resumo dela de 1500 caracteres) que pode ser postada em Lux's Guestbook.
http://www.thecramps.com/
Vc viu a foto da página? Tá linda/forte, né?

bjossss

Fábio disse...

Cara, tomei um puta susto quando soube. Sua carta só não exprime cem por cento meu sentimento porque fui tomar conhecimento do The Cramps depois dos punks, que foram a primeira grande porrada na minha moleira. Mas concordo com a Tatiana: coloca lá no site deles!!

Tatiana disse...

Ô Quirino, assim vc me deixa sem jeito. Queria tanto fazer isso por vc, mas sem chances de poder auxiliá-lo nessa questão linguística. Qualquer outro favor que esteja na minha alçada, é só gritar.

Bjos

jessica disse...

enquanto vc ouvia cramps, eu ouvia xuxa.

jessica disse...

ele ia gostar desta carta