A fenomenologia do ambiente

sábado, setembro 27, 2008

517JUVJuTNL._SS400_


Profundo, vagaroso, etéreo, sideral.

Baixei esses dias a coletânea belga de ambient music Freezone 1: The Phenomenology of ambient, de 1994. Relaxei profundamente com as faixas de artistas clássicos do gênero como Solar Quest, Moby, Terre Thaemlitz, Ken Ishii, Geir Jenssen (aka Biosphere), Air (aka Pete Namlook), entre outros.


Ótimo para leituras de ficção cientifica ou mesmo para navegar a deriva através desse eterno mar de informações que é a web. 

Em particular, aprecio estudar ao som desse álbum. Há algo em sua sonoridade que abre o cérebro e o faz mergulhar no que está se lendo. Ou mesmo te faz cair na paisagem que se observa da janela de um carro ou ônibus. Leva a mente a produzir uma calma para o corpo, que por sua vez, abre caminho a uma melhor percepção.

Talvez até, algo como uma trepanação sonora para compreender melhor tudo o que nos cerca.








Ouça Sussan Deihim & Richard Horowitz - Desert Equations


3 comentários:

Anônimo disse...

Eu quero fazer uma trepanação com você, gostosooooo =)

Jessica disse...

essas músicas são boas para durmir!
coloque naquele playlist que costuma fazer antes de oficialmente pegarmos no sono...
=*

Sheila Alvarenga Gogoi disse...
Este comentário foi removido pelo autor.